Redução de voos no Rio Grande do Sul eleva custo das passagens aéreas em até 50%

O fechamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho após uma enchente devastadora em Porto Alegre resultou em uma redução significativa no número de voos diários para e do Rio Grande do Sul, levando a um aumento nos preços das passagens aéreas.

Foto: G1 - Globo.com

Foto: G1 - Globo.com

O fechamento do Aeroporto Internacional Salgado Filho após uma enchente devastadora em Porto Alegre resultou em uma redução significativa no número de voos diários para e do Rio Grande do Sul, levando a um aumento nos preços das passagens aéreas.

Atualmente, há apenas 113 voos semanais com destino ao Rio Grande do Sul, um número inferior à quantidade de voos diários que Porto Alegre costumava receber antes da enchente. Essa drástica diminuição na oferta, combinada com uma alta demanda, fez com que o preço de uma passagem só de ida de Passo Fundo a São Paulo saltasse para R$ 1.680, um aumento considerável em comparação aos R$ 850 praticados anteriormente – uma diferença de 50%.

Victor Hugo Almeida, agente de viagens, explicou à RBS TV como a situação atual impacta as tarifas: “A tarifa aérea é montada através da disponibilidade de lugares. Quanto maior a disponibilidade de lugares, a tendência é que a tarifa do bilhete aéreo seja menor. O que está acontecendo agora? O Salgado Filho fechou, então, são menos voos que estão operando pela Base Aérea de Canoas, são voos implementados no interior do Rio Grande do Sul, nos aeroportos de Passo Fundo, Caxias do Sul, mas eles são muito menores do que a oferta que o Salgado Filho tinha. Então, os voos estão lotando muito rápido e, consequentemente, a tarifa está ficando mais elevada”.

Com a redução das operações no principal aeroporto da capital gaúcha, muitos voos estão sendo direcionados para aeroportos alternativos como Caxias do Sul e a Base Aérea de Canoas, além de outros municípios do estado e de Santa Catarina, que agora fazem parte da malha aérea emergencial do Rio Grande do Sul. No entanto, esses aeroportos possuem capacidade limitada em comparação com o Salgado Filho, resultando em uma rápida ocupação dos voos e subsequente aumento nas tarifas.

Para o mês de junho, muitos voos já estão lotados. A maioria desses voos está partindo de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, e da Base Aérea de Canoas. Além disso, há uma quantidade considerável de voos com destino a cidades de Santa Catarina.

Voos em aeroportos gaúchos:

  • Caxias do Sul: 39 voos semanais
  • Santo ├éngelo: 6 voos semanais
  • Passo Fundo: 21 voos semanais
  • Pelotas: 6 voos semanais
  • Santa Maria: 3 voos semanais
  • Uruguaiana: 3 voos semanais
  • Base Aérea de Canoas: 35 voos semanais
  • Florianópolis: 14 voos semanais
  • Jaguaruna: 7 voos semanais

Fonte: Ministério de Portos e Aeroportos