Chuvas no RS: Caixa diz que ações no estado somam impacto de R$ 66,8 bi na carteira

As várias ações da Caixa Econômica Federal para o Rio Grande do Sul já têm impacto de R$ 66,8 bilhões na carteira do banco público, de acordo com números apresentados nesta quinta-feira (16) em entrevista à imprensa.

Foto: Tribuna do Sertão - Compromisso com a verdade

Foto: Tribuna do Sertão - Compromisso com a verdade

As várias ações da Caixa Econômica Federal para o Rio Grande do Sul já têm impacto de R$ 66,8 bilhões na carteira do banco público, de acordo com números apresentados nesta quinta-feira (16) em entrevista à imprensa.

O presidente da Caixa Econômica Federal, Carlos Vieira, disse que 50 unidades do banco foram afetadas no Rio Grande do Sul pelas enchentes.

Para a região, o banco destinou um vice-presidente que vai ficar no estado de forma permanente, fazendo um rodízio com seus colegas da mesma hierarquia. Também terá profissionais de habitação, FGTS e governo.

Entre as ações detalhadas, a que tem mais impacto na carteira da Caixa é para o financiamento à habitação.

O banco vai permitir pausa de 6 meses nas prestações para quem tem financiamento nas áreas afetadas. Isso terá um impacto de R$ 52 bilhões.

Também haverá uma pausa de seis meses nas prestações de créditos para pessoa física e jurídica na região, além de reduzir a taxa do crédito consignado no estado, uma medida que terá impacto de R$ 10 bilhões na carteira.

Entre outras medidas mais gerais no banco público, Vieira citou a antecipação do pagamento do Bolsa Família, do Auxílio Gás e do INSS.

Além disso, a estrutura da Caixa no estado foi disponibilizada para a instalação de escritórios de monitoramento do governo federal na região.