Nível do Guaíba recua e chega a 5,21 metros

O nível do Guaíba, no Rio Grande do Sul, voltou a descer depois de ter atingido às 22h de 3¬™ feira (14.

Foto: Agência Brasil - EBC

Foto: Agência Brasil - EBC

O nível do Guaíba, no Rio Grande do Sul, voltou a descer depois de ter atingido às 22h de 3ª feira (14.mai.2024) os 5,25 metros. A medição realizada às 6h desta 4ª feira (15.mai) indica que o lago está na marca dos 5,21 metros. A cota de inundação é de 3 metros.

A alta do Guaíba preocupa, já que a cheia é uma das principais causas da inundação que atinge o Rio Grande do Sul desde 28 de abril. O Estado enfrenta situação de calamidade pública.

Segundo monitoramento da Defesa Civil, com a propagação das cheias da sua bacia hidrográfica, é provável que nesta semana o Guaíba ultrapasse os níveis de cheia de semana passada, quando atingiu os 5,30 m. Eis a íntegra do monitoramento (PDF – 18 kB).

Em 7 de maio, o Guaíba atingiu o seu ápice histórico, de 5,33 metros. Até então, o maior registro de cheia na capital Porto Alegre havia sido na histórica inundação de 1941. Naquele ano, o Guaíba marcou 4,76 metros.

Veja abaixo o gráfico de monitoramento do Guaíba:


Leia mais:


ENCHENTES NO RIO GRANDE DO SUL

As fortes chuvas no Rio Grande do Sul já deixaram 149 mortos, segundo balanço da Defesa Civil divulgado na 3ª feira (14.mai.2024). O Estado tem 79.494 pessoas em abrigos.

Leia abaixo os últimos dados de 3ª feira (14.mai):

  • mortes confirmadas: 149;
  • feridos: 806;
  • desaparecidos: 124;
  • pessoas resgatadas: 76.483;
  • pessoas em abrigos: 79.494;
  • desalojados: 538.245;
  • afetados: 2.124.553;
  • animais resgatados: 11.002; e
  • municípios afetados: 446.

ALERTAS

Para receber os alertas meteorológicos da Defesa Civil do Rio Grande do Sul, basta enviar o CEP do local por mensagem de texto para o número 40199.

No WhatsApp, é possível clicar aqui ou registrar o número (61) 2034-4611 como contato. Em seguida, é necessário enviar uma mensagem, como um "Oi". Depois da 1ª interação, o usuário pode compartilhar a localização atual ou qualquer outra do seu interesse para receber os alertas meteorológicos.