GOL registra prejuízo de R$ 130,2 milhões no 1º trimestre de 2024

A GOL Linhas Aéreas reportou um prejuízo líquido de R$ 130,2 milhões no 1┬║ trimestre de 2024.

Foto: -

Foto: -

A GOL Linhas Aéreas reportou um prejuízo líquido de R$ 130,2 milhões no 1º trimestre de 2024. No mesmo período do ano passado, a companhia aérea havia reportado um lucro de R$ 136,4 milhões. A empresa está em recuperação judicial nos Estados Unidos desde janeiro de 2024.

A receita operacional líquida ficou em R$ 4,7 bilhões –queda de 4,2% na comparação com o resultado do 1º trimestre de 2023. Os resultados financeiros da empresa foram divulgados nesta 3ª feira (14.mai.2024). Eis a íntegra do balanço (PDF – 1 MB).

O faturamento da GOL no início de 2024 se dividiu da seguinte forma:

  • transportes de passageiros – R$ 4,3 bilhões;
  • transportes de cargas e outros – R$ 393,2 milhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) recorrente da empresa fechou os primeiros 3 meses do ano em R$ 1,4 bilhão. O resultado representa um aumento de 15,2% em relação ao 1º trimestre do ano passado. O indicador serve para medir a produtividade e capacidade de uma companhia em aumentar o caixa.

O volume total de decolagens da companhia no período foi de 51.666. Houve uma queda de 9,4% no comparativo com o 1º trimestre de 2023. Já o total de assentos disponibilizados pela GOL ao mercado foi de 9,1 milhões, o que representa um decréscimo de 7,0% ante o mesmo período do ano passado.

Neste trimestre, a GOL adicionou duas novas aeronaves Boeing 737-MAX 8 à sua frota. Como parte do plano de renovação de sua frota e recuperação da eficiência operacional, foi devolvida uma aeronave Boeing 737-NG.

RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Esse foi o 1º balanço financeiro divulgado pela companhia com resultados posteriores à entrada da GOL no chapter 11 (equivalente à recuperação judicial no Brasil) ao Tribunal de Falências do Distrito Sul de Nova York.

No comunicado ao mercado, a GOL informou que deu início às discussões sobre a estruturação o plano de financiamento que servirá de base ao Plano de Reorganização autônomo da companhia.

“A GOL utilizará o processo do Capítulo 11 para reestruturar suas obrigações financeiras e fortalecer sua estrutura de capital para a sustentabilidade no longo prazo, ao mesmo tempo que permitirá uma aceleração no processo de recuperação da frota”, informou a empresa.