Putin visitará a China em viagem inaugural de seu 5º mandato

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, fará uma visita de Estado à China na 5┬¬ e 6┬¬ feira (16 e 17.

Foto: SPUTNIK -

Foto: SPUTNIK -

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, fará uma visita de Estado à China na 5ª e 6ª feira (16 e 17.mai.2024). A viagem, segundo nota do Kremlin, é para "delinear prioridades para uma maior cooperação prática" entre os 2 países. Essa será a 1ª viagem internacional desde que Putin tomou posse, em 7 de maio, para seu 5º mandato.

Conforme o Kremlin, Putin e o presidente chinês, Xi Jinping, vão "realizar uma troca aprofundada de opiniões sobre as questões internacionais e regionais". Depois do encontro, devem assinar uma declaração conjunta e "vários acordos bilaterais".

Vladimir Putin e Xi Jinping vão participar de um evento de gala que assinala os 75 anos das relações diplomáticas entre a Rússia e a China.

O presidente russo deve ainda se reunir com o primeiro-ministro da China, Li Qiang, para discutir "a cooperação bilateral no comércio, na economia e nos assuntos humanitários".

Desde o início do conflito na Ucrânia, China e Índia se tornaram os principais aliados comerciais do país liderado por Vladimir Putin. Em 2023, o volume comercial entre China e Rússia aumentou e atingiu mais de US$ 200 bilhões.

O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse, no começo de abril, que Moscou e a China concordaram em discutir formas de aprofundar a cooperação em segurança na Europa e na Ásia. A medida seria para contrariar as tentativas dos EUA de impor a sua vontade na região.

Os Estados Unidos se colocaram ao lado da Ucrânia no conflito com a Rússia. Lavrov declarou, em fevereiro, que "as realidades de um mundo multipolar" estão causando uma "reação agressiva" nos EUA e em outros países ocidentais, que buscam manter seu "domínio" e sua "hegemonia".

A relação dos norte-americanos com a China vem se deteriorando desde que o presidente dos EUA, Joe Biden, assumiu a Casa Branca, no começo de 2021. Em telefonema a Biden no começo deste mês, o presidente da China, Xi Jinping, afirmou que os fatores negativos no relacionamento do país asiático com os Estados Unidos têm crescido.