Infra em 1 Minuto: envolvimento do Irã em Gaza pode afetar cadeias globais de energia

O Poder360, em parceria com o CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura), lança nesta 6¬™ feira (19.

Foto: YouTube

Foto: YouTube

O Poder360, em parceria com o CBIE (Centro Brasileiro de Infraestrutura), lança nesta 6ª feira (19.abr.2024) mais um episódio do programa Infra em 1 Minuto. Em análises semanais, Pedro Rodrigues, sócio da consultoria e especialista em óleo e gás, fala sobre os principais assuntos relacionados ao setor de energia.

O programa é publicado toda semana no canal do Poder360 no YouTube. Inscreva-se aqui e ative as notificações.

Neste 83º episódio, Rodrigues fala sobre as possíveis consequências de uma eventual escalada no conflito entre Irã e Israel.

No sábado (13.abr), o país islâmico atacou Israel com drones e mísseis. A investida foi uma resposta ao ataque de Israel à Embaixada do Irã na Síria, em 1º de abril.

O sócio do CBIE, que já falou sobre o impacto das guerras na Ucrânia e em Israel no mercado de óleo e gás, diz que as reações aos ataques ficaram aquém das expectativas: “Para o contento dos defensores de um cessar-fogo na região e daqueles que apostam em um barril de óleo mais barato, a repercussão da troca de agressões entre os países rivais foi mais tímida do que o esperado”.

Ele diz que, apesar de líderes ocidentais e orientais terem condenado o bombardeio iraniano, o temor de um envolvimento direto do Irã na guerra de Israel contra o grupo extremista Hamas arrefeceu. “As declarações posteriores de representantes tanto do Irã quanto de Israel indicam que ambos os países não buscam uma escalada significativa do conflito”, afirma.

Pedro Rodrigues, no entanto, diz que é “evidente que a cotação do barril fica vulnerável a quaisquer movimentos que sinalizem uma mudança do quadro de não-agressão”.

Ele completa: “Com uma produção de 3,2 milhões de barris de petróleo por dia, o Irã ocupa confortavelmente a 3ª posição no ranking de produtores da Opep+ [Organização dos Países Exportadores de Petróleo e Aliados], é o 8º maior produtor mundial de petróleo, além de ter controle efetivo sobre o Estreito de Ormuz. Qualquer envolvimento dessa importante nação para o setor petrolífero pode ter reflexos drásticos na operação das cadeias globais de energéticos”.

Assista (2min45s):

INFRA EM 1 MINUTO

Assista aos episódios anteriores do programa: