Israel revida e lança ataques contra Irã nesta 5ª feira

Em retaliação, Israel lançou ataques contra o Irã na noite desta 5¬™ feira (18.

Foto: Poder360

Foto: Poder360

Em retaliação, Israel lançou ataques contra o Irã na noite desta 5ª feira (18.abr.2024). O governo israelense já havia afirmado que contra atacaria o país, em resposta aos cerca de 300 drones e mísseis lançados em direção ao país no sábado (13.abr).

Segundo informações da ABC News, uma explosão foi ouvida na cidade iraniana de Ghahjaworstan, localizada a noroeste da cidade de Isfahan, a 340 km da capital Teerã. A causa das explosões ainda são desconhecidas.

Ainda segundo o jornal norte-americano, voos com destino a Teerã, Isfahã e Shiraz foram suspensos. Ghahjaworstan está localizada perto da 8ª Base Shekhari da Força Aérea do Exército iraniano, no noroeste de Isfahan.

O ataque ainda não foi confirmado por nenhuma das duas partes.

Em reação ao ocorrido, o preço do barril de petróleo tipo Brent estava cotado às US$ 90,45 às 23h50 (horário de Brasília). Havia fechado o mercado em US$ 87,11, queda de 0,21% ante o dia anterior.

IRÃ X ISRAEL

O ataque iraniano de 13 de abril de 2024 era esperado. O país havia prometido retaliar os israelenses pelo bombardeio que matou 8 pessoas na embaixada do Irã em Damasco (Síria), em 1º de abril, incluindo um general da Guarda Revolucionária. Os países culparam Israel, apesar de o país não ter assumido a responsabilidade, embora na comunidade internacional se dê como certo que a ordem teria vindo de Tel Aviv.

Segundo as FDI (Forças de Defesa de Israel), cerca de 300 drones e mísseis foram lançados pelo Irã. Israel afirma que caças do país e de aliados, como EUA e Reino Unido, e o sistema de defesa Domo de Ferro interceptaram 99% dos alvos aéreos.

A seguir, leia mais sobre o ataque e seus reflexos:

  • o que disse Israel – que responderá na hora certa;
  • o que disse o Irã – que agiu em legítima defesa;
  • reações pelo mundo – o G7, grupo com 7 das maiores economias do planeta, condenou o ataque "sem precedentes" e reforçou seu compromisso com a segurança de Israel;
  • reação do Brasil – o Itamaraty disse acompanhar a situação com "preocupação" e não condenou a ação iraniana; depois, o ministro Mauro Vieira (Relações Exteriores) afirmou que o governo Lula condena qualquer ato de violência ao ser indagado por jornalistas;
  • Brasil decepcionou – o embaixador de Israel no Brasil, Daniel Zonshine, disse ao Poder360 que ficou desapontado com a nota brasileira;
  • Brasil acertou – já para o ex-ministro e diplomata de carreira Rubens Ricupero, o Itamaraty acertou no tom. Falou ao Poder360 que não há motivos para o país "tomar uma posição de um lado ou de outro";
  • impacto no petróleo – uma possível guerra entre Irã e Israel deve fazer o preço da commodity subir e pressionar a Petrobras a aumentar combustíveis;
  • vídeos – veja imagens do ataque do Irã.


Esta reportagem receberá mais informações.